terça-feira, setembro 04, 2007

Sexo em Silêncio

Passamos os dias, uns após os outros, a gritar um com o outro!
E quando não gritamos, é apenas porque simplesmente nem nos falamos!
É demasiado cansativo e esgotante! Isto não é Viver para ninguém!...
Mas ontem...
... ontem foi diferente!
Também houve gritos e raivas e zangas por sei lá o quê...
... mas depois ficou um silêncio que nos absorveu!...
Um silêncio escuro, que nos envolveu e nos transportou para fora deste mundo onde ultimamente temos vivido!
Naquele silêncio escuro, onde nem o contorno do nossos corpos conseguimos vislumbrar e parece que o pensamento é ele mesmo ensurdecedor, abraçá-mo-nos!
Ou melhor, ele abraçou-me.
Beijou-me como se fosse a 1ª vez que estávamos juntos... não digo isso pelo encantamento, mas sim pelo sabor, diferente, estranho...
Senti pudor em beijá-lo e apenas retribui, mal e sem entusiasmo.
Já não fazíamos amor há tanto tempo, que parecia que éramos dois corpos estranhos, a descobrir sabores novos, toques e beijos que não nos pertenciam.
Só se ouvia a nossa respiração, quase a medo, quase irreal...
Senti o desejo dele crescer sem pudores, mas não o meu.
Limitei-me a ser beijada, tocada, oferecendo o meu corpo mas sem o realmente entregar!
Não deixamos escapar um pequeno gemido sequer... era só a respiração ofegante dele, em cima de mim, e a minha respiração levemente descontrolada, mas sem loucuras.
Limitei-me a sentir o toque dele, os beijos que insistia em dar na minha boca, no meu pescoço, nos meus mamilos; deixei-o despir-me totalmente e abri as pernas para que ele se encaixasse, como quisesse.
Ele beijava-me com fome, com um desejo totalmente diferente do que sempre lhe conheci: a sua língua passeou por todo o meu corpo, sem reservas; dos mamilos desceu para a minha barriga, pelo umbigo, até à minha cona, molhada mas sem emoção; beijou-me no grelinho, no interior das coxas, lambeu-me toda enquanto as mãos continuavam a acariciar-me.
Senti um desejo frio, todo carnal, sem amor; quando ele me penetrou, duro e com vigor, as minhas entranhas receberam-no, mas não o envolveram.
Tive prazer, senti o orgasmo apoderar-se de mim, senti todas as contracções de tesão que é normal sentir, sabia-me muito molhada e sabia também que o meu prazer só iria acelerar o dele!
Vim-me sem um gemido, sem um único som, como nunca imaginei ser possível!
Quando a minha rata se acalmou, ele enterrou-se bem em mim e num vai e vem frenético veio-se também!
Mantive-me deitada, de pernas abertas, com ele deitado em cima de mim, ambos suados... e calados!
Aquele silêncio escuro, que nos abafa e nos esconde e nos ensurdece, manteve-se.
Sei que não fizemos amor... sei que não foi apenas sexo...
... mas não sei definir o que aconteceu ontem...
Talvez tenha sido apenas a satisfação de uma necessidade física, como a fome ou a sede!...
Não sei... e ainda nem defini para mim mesma se gostei!...

29 comentários:

Anónimo disse...

Eu sei que não gostaste ! A tua escrita está diferente, sem prazer... e se a escrita não tem prazer, o sexo também não...
Beijos, "Ana".

Crestfallen disse...

A mim parece-me, que foi como que satisfazer uma necessidade e não um prazer. Foi como, comer porque se tem fome e não comer o que se quer realmente!

Angel disse...

Encontrei este blog após ter lido o artigo na revista 'Sábado' (2006) e li alguns textos passados, incluindo aquele onde dizias que tinhas sido traída... Sei q ñ tenho nada com isso, mas se este encontro sexual foi com o teu companheiro da altura, então penso que a vossa relação esmoreceu... Até o próprio texto vai contra o título do blog, pq pareceu-me q o prazer q daí adveio, foi puramente físico e ñ emocional/espiritual cm exprimias dantes... Um abraço. 'Angel'

EXCITAÇÕES disse...

Desta vez não gostei de te ler. Não é a escrita que não gosto. É sentir-te em mim e sentir o vazio a rodear-me que não gosto!

Gostar de te ler quando tens prazer, é também gostar de mim no imaginário feminino.

beijinhos ruidosos

Condessa disse...

SEm emoção tudo não passa de algo mecânico...

cheiodetesao disse...

Nem tudo se passa sempre da mesma maneira.

E o que liga as pessoas vai mudando, de acordo com muitas e muitas circunstâncias.

O amor não é imorredoiro, como todas as coisas do universo, também ele nasce, vive e morre...

Um beijinho, Heidi, nosso, tu sabes...

® Jasmin disse...

A tua relação faz-me lembrar uma que tive outrora. Chegamos a uma ponto que davamo-nos melhor na horizontal do que na vertical (e não estou a falar de posições! ;)). O desiquilíbrio era grande e foi-me muito dificil terminar aquela relação porque o sexo era mesmo muito bom.
Minha querida, às vezes temos de pesar na balança e perceber onde está o desiquilíbrio!

beijinhos

Marquês disse...

Vem ter conosco e verás que vais gostar...

Anónimo disse...

tnh pena q as coisas andem assi....
e' um pc deprimente xegar aki e apo's ja' ter lido e acompanhado os teus post's antigos, q sao tao intensos, excitantes e xeios d amor, e dps ler este....
espero q as coisas melhorem...
bjo qel :)

Machine disse...

Bom, já tudo foi dito nos comentários anteriores. Concordo que não deverá ter sido das melhores experiências emocionais que tiveste, mas penso que não deve haver lugar para arrependimentos. Melhores dias virão!

Beijo.


p.s - aproveito para te desafiar a visitar o nosso blog e participar no concurso que está a decorrer :)

João disse...

Olá
O texto está muito confuso e acho que essa tua cabecinha também.
Deves tirar um tempo pra ver o que realmente queres e seguir com a tua vida seja lá qual for a tua decisão.
Passa no meu e comenta.Tenho um tema polémico e quero saber a tua opinião.
Beijinhos

mitro disse...

Quando estamos amargos, tudo sabe a amargo...

"Minhas Lindas" disse...

Lindo texto!

Bjkas

NM disse...

Muito Bom... Gostei.
Um beijo.

http://pedeaosemen.blogspot.com
http://prazeroculto.blogspot.com

carpe vitam! disse...

o encanto de um relacionamento é que se pode sempre tentar recomeçar, ver as coisas noutra perspectiva. Reinventar, re-apaixonar, re-amar. Experimenta deixar os ressentimentos para trás e re-sente apenas.
O prazer é partilhado.
Até mais,
carpe vitam!

Libertyn n' us disse...

granda queka..só tu hummm

Sexhaler disse...

O vazio. Oco. Estéril. Desgastante.
Been there. Done that.
Nunca mais o esqueces mas podes pô-lo para trás das costas.
Desejo-te força.

Beijo

sem-tabusexo disse...

Adorei o teu blog... Passarei mais vezes...! @@

Borboleta Endiabrada disse...

olá!!
Tava aqui a visitar e encontrei o teu blog..Adorei, vou voltar mais vezes. Se nao te importares, vou linkar-te ao meu blog.

Beijinhos endiabrados

"Minhas Lindas" disse...

Te linkamos no nosso! Pode nos linkar aqui tb?

Lindo blog, adoramos!!!

D. Sebastião disse...

Já vi quecas mais complicadas com muito menos conteudo.
Tinha saudades tuas amiga.

beijo XXX

Shelyak disse...

Bem sofisticado que foi, isso sim...
Sensações tão boas...reconheça-se...
Beijinho que te deixo!

sem-tabusexo disse...

eQuerida...! =)
Beijos *

Claudia by Anjo Sensual disse...

Oi querida,
Estive ausente, mas voltei porque a saudades falou mais alto!!!
Tenho um carinho muito especial por ti.
Deixo um beijo e desejo um otimo fim de semana.
Bjs
Cláudia

Noivo disse...

delicioso!

MANDALAS POEMAS disse...

Hola, por aqui deleitandome con el contenido de tu blog. Felicitaciones.
Te invito muy cordialmente a que visites el mio donde están consignados mis poemas.

www.mandalaspoemas.blogspot.com

Un abrazo desde Barranquilla, Colombia.

Víctor González Solano

D. Sebastião disse...

Também ando a "cozinhzr" uma ideia nova. depois conto-te.

Selinho

Sutra disse...

Sinto o vazio de emoções em cada palavra.
Descobre-te e a esse sentimento que se instalou.
Ou... revela-nos que tudo isso já foi ultrapassado...

Bj doce

Blue disse...

Lindo...
Parece eu e ele no nosso silêncio...hum...tão bom!
Este teu texto faz-me recordar...
;)

kiss